Cabeamento Estruturado: cobertura de rede em Área de Trabalho – WA

A norma ABNT 14565:2007, que especifica as recomendações para a execução do cabeamento de telecomunicações de edifícios comerciais define Área de Trabalho(Workstation Area – WA) como sendo o espaço ocupado pelos usuários finais da rede, onde são conectados os equipamentos(microcomputadores, impressoras, Voip,etc) por meio das Tomadas de Telecomunicações (TO).

Ilustração de uma de um sala que pode conter uma ou mais àreas de trabalho.

 

   Nota: para fins de internacionalização e compatibilidade a norma brasileira mantém as siglas no formato definido pelo idioma inglês. Ex: WA – Workstation Area, ER – Equipment Room.

A norma define que a dimensão padrão de uma WA é de 10m², sendo que cada área de trabalho deve possuir pelo menos duas tomadas de telecomunicação(TO). Para espaços superiores a 10m² devemos arredondar o medida para o valor múltiplo de dez imediatamente superior e após dividir pelo tamanho de WA especificado pelo ABNT, ou seja, 10.

Resumo de como calcular o número de TO’s

Seguir as recomendações básicas das normas técnicas nesse caso no mínimo deve garantir a escalabilidade da rede, ou seja, prever movimentações no layout das salas ou acréscimo de usuários e/ou equipamentos. Para casos específicos e levando em conta características físicas do espaço ou mesmo peculiaridades em termos de equipamentos extras, será necessário avaliar a instalação e distribuição de pontos independentes para além desses padrões mínimos.

Referências

ABNT 14565:2007 – Cabeamento de Telecomunicações para Edifícios Comerciais.

Cabeamento Estruturado

Subsistemas do Cabeamento Estruturado


Tiago Juliano Ferreira – Possui graduação em Ciência da Computação. MBA em Sistemas da Informação. Atualmente está lotado no Setor de TI do campus Sertão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Câmpus Sertão, atuando nas áreas de Administração de Rede, Infraestrutura de Rede e Suporte Técnico. Atuou como Professor Substituto no IFRS Campus Sertão em disciplinas de Redes de Computadores, Segurança da Informação e Arquitetura de Computadores. Atuou como: professor no Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – SENAC RS, professor no Sistema Educacional Galileu – SEG e professor no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Câmpus Ibirubá. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Hardware e Redes, atuando principalmente nos seguintes temas: redes e sistemas distribuídos, software livre e robótica.